visualizações de página

sábado, 27 de novembro de 2010

Brinquedos africanos

Este texto,  recomendamos para leitura àqueles que se interessam pela temática deste blog...

Conteúdo encontrado no site abaixo referido e retirado integralmente para fins de divulgação, respeitando-se direitos autorais, sem fins comerciais.

Fonte Consultada: http://www.portalibahia.com.br/blogs/brincantes/?p=3501

UMa das Riquezas Culturais Que Herdamos dos Povos Africanos

Bonecas Abayomi

A marca registrada da Abayomi – que quer dizer “meu momento”, em Iorubá, uma língua africana – é uma boneca negra de pano. Ela pode representar inúmeros personagens: de figuras do cotidiano (como crianças em ciranda, futebol, mocinha, mulher, homem, florista, capoeirista), de contos infantis ou de fábulas (saci, bruxa, gnomo, gênio, fada, anjo, sereia), passando por artistas de circo (trapezista, contorcionista, palhaço) e orixás do candomblé.
Em viagens para o Brasil em direção a escravidão, as mulheres rasgavam a barra da saia e faziam Abayomis para as crianças brincarem…. E já aqui como escravos, reunião-se todos os dias na senzala e confeccionavam as Abayomis pedindo saúde e prosperidade.





  
 








JOGO Mancala

Hoje, joga-se o Mancala em quase todas as regiões africanas. O nome varia de país para país e até de tribo para tribo, com algumas variantes, embora as regras, no essencial, sejam as mesmas. Há regiões africanas onde se jogam variantes em tabuleiros com vários buracos e sementes em número proporcional aos buracos.
O jogo processa-se sobre um tabuleiro com catorze buracos (doze casas e dois depósitos) e quarenta e oito sementes, ou num tabuleiro com apenas doze casas.
O mancala basicamente requer capacidades da matemática e promove, nos jogadores, o desenvolvimento de proporção, estratégia, visão espacial e criatividade. À semelhança do xadrez, ele tem embutido em sua dinâmica raízes filosóficas e serve, ainda, para entender a cultura de outros povos, neste caso, de nações africanas.





Autoras desta postagem:
Alunas: CLAUDIA CAMPOS, DAIANE, MARIA DE FATIMA e TEREZINHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário